Nos rios de Mato Grosso: Política Energética e Energia Solar

Por que em um país como o Brasil, que tem sol durante todo o ano, a energia solar não tem espaço na matriz energética? Por que não aproveitamos essa fonte inesgotável e gratuita de energia? Em Mato Grosso, por exemplo, existe apenas uma usina de energia solar. Em nosso ultimo programa, discutiremos a importância da energia solar como fonte de energia realmente renovável e os motivos da ausência de investimento nesta fonte.

Os programas foram produzidos pela jornalista Juliana Arini e serão disponibilizados gratuitamente aqui em nosso blog. Nossa intenção é que os programas ajudem as pessoas da região a refletirem e discutirem sobre estes importantes temas.

Os programas podem ser replicados livremente. Se você e/ou sua comunidade tiver interesse em receber todos os programas, entre em contato conosco no redejuruenavivo@gmail.com.

Para fazer download do Programa Nos Rios de Mato Grosso 13Política Energética e Energia Solar

Anúncios

Palmas oferece desconto de até 80% no IPTU a quem adotar energia solar

Imagem ilustrativa da internet.

Imagem ilustrativa da internet.

Em seu boletim Mundo Sustentável para a Rádio CBN, o jornalista André Trigueiro fala sobre o incentivo fiscal que a prefeitura de Palmas (TO) dá para quem espalha placas fotovoltaicas em sua casa, empresa ou comércio, o mesmo é válido para o ISS e o imposto de transmissão de bens móveis. A energia solar também se tornou obrigatória para novas edificações públicas.

Ouça o boletim completo AQUI.

O grande potencial das energias renováveis

Portugal operou exclusivamente com energias renováveis por 4 dias

Das 6:45h do sábado, 07 de maio, até às 17:45h da quarta-feira, 11 de maio, toda a energia consumida por Portugal veio de fontes renováveis. Segundo os dados recolhidos pela ONG Zero, essas 107 horas sem fontes poluentessão um registro importante para o consumo de eletricidade no mundo e uma lição para o Brasil, que ainda mantém a hidrelétrica como principal matriz, mesmo tendo um potencial eólico de 140.000 MW, segundo dados do Ministério de Minas e Energia. Isso representa 50% a mais do que toda a energia utilizada no país, em 2015, somando todos os outros meios de geração.

Portugal operou exclusivamente com energias renováveis por 4 dias. (Imagem da internet)

Portugal operou exclusivamente com energias renováveis por 4 dias. (Imagem da internet)

Confira abaixo a tradução da notícia publicada no site Energia Estratégica, de Portugal:

Por Energía Estratégica / info@energiaestrategica.com

A chuva e o vento que atingiram a Península Ibérica durante os dias 7 e 11 de maio de 2016 representaram um novo recorde. De acordo com a Agência Internacional de Energia, a queima de biomassa é a principal fonte de eletricidade em Portugal, seguida por usinas hidrelétricas e parques eólicos. No entanto, o uso de fontes renováveis, ventos e energias solares, estão em crescimento no país na casa de 31 e 20 por cento, respectivamente, desde 2014.

Durante aquelas 107 horas, as necessidades de consumo de Portugal ficaram 100% garantidas pelas fontes renováveis e ainda possibilitaram a exportação de uma quantidade significativa de eletricidade exclusivamente renovável ou completada, em alguns casos, por fontes não renováveis. A gestão das fontes renováveis de produção de eletricidade e a capacidade de distribuição na rede elétrica superaram um teste difícil no contexto de pequenas interconexões, especialmente entre Espanha e França.

Portugal fechou suas centrais a carvão em 1994. Durante o primeiro trimestre de 2013, 70% de sua energia já eram renováveis. Em 2014, a média foi de 63% e, em 2015, o número caiu para 50,4% devido à seca. A Dinamarca é o país que gera uma maior proporção de sua eletricidade do vento: em 2015, a produção foi de 140% das suas necessidades energéticas com moinhos instalados em sua costa.

Texto complementado com informações do site Brasil Solar.