Nos rios de Mato Grosso: Impactos das hidrelétricas nos municípios

A chegada de um projeto hidrelétrico em uma cidade, vem sempre acompanhada de promessas de investimentos e desenvolvimento. No nosso quinto programa, vamos discutir os reais impactos sociais e ambientais desses projetos nos municípios. Um dos exemplos é o município de Aripuanã (MT) que recebeu a hidrelétrica de Dardanelos e, até hoje, sofre com os impactos da obra.

Os programas foram produzidos pela jornalista Juliana Arini e serão disponibilizados gratuitamente aqui em nosso blog. Nossa intenção é que os programas ajudem as pessoas da região a refletirem e discutirem sobre estes importantes temas.

Os programas podem ser replicados livremente. Se você e/ou sua comunidade tiver interesse em receber todos os programas, entre em contato conosco no redejuruenavivo@gmail.com.

Para fazer download do Programa “Nos Rios de Mato Grosso” 5 – Impactos das hidrelétricas nos municípios

O desenvolvimento dos municípios brasileiros alagados por usinas hidrelétricas

Usina Hidrelétrica de Belo Monte (PA). (foto da internet)

Usina Hidrelétrica de Belo Monte (PA). (foto da internet)

É corriqueiro relacionar “desenvolvimento” e “progresso” às oportunidades anunciadas com a chegada de usinas hidrelétricas aos municípios. Mas, pouca gente se dispôs a analisar, no detalhe, se houve mesmo algum avanço nas cidades. O pesquisador Evandro Mateus Moretto, coordenador do Programa de Pós-graduação em Ciência Ambiental do Instituto de Energia e Ambiente da Universidade de São Paulo (USP) e sua equipe analisaram 159 usinas inauguradas até 2010 com potência superior a 20 MW em 647 municípios brasileiros e concluiu que a construção dessas hidrelétricas não trouxe benefícios locais.

Essa discussão foi levada para a Rede Juruena Vivo ano passado, quando o pesquisador Daniel Rondinelli Roquetti, da equipe do professor Evandro Moretto, participou do II Festival Juruena Vivo, realizado em outubro de 2015 em Juína. Para saber mais detalhes da pesquisa, confira a reportagem o jornalista Márcio Ferrari, publicada na Revista Fapesp.

Leia a reportagem AQUI.