Nota de protesto do Povo Myky

PROTESTO DO POVO MYKY DIANTE DA DIVULGAÇÃO VEICULADA NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO DE QUE A COMUNIDADE TERIA RECEBIDO O EXÉRCITO COM FLECHADA

Nós, Povo Myky, da Aldeia Japuíra, localizada na Terra Indígena Menkü, Município de Brasnorte (MT), protestamos diante das notícias divulgadas na mídia no dia 07 de outubro de 2018, dia da votação.

Neste ano o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) criou uma urna na comunidade, sendo o primeiro ano de votação na localidade quando todo processo eleitoral transcorreu em ordem e absoluta tranquilidade. Durante a semana a escola foi preparada para receber a votação. No sábado, homens do exército estiveram na aldeia para verificação da localidade da Zona 56 e Seção 129.

No dia da votação, 07 de outubro de 2018, pela manhã, um senhor da aldeia se aproximou do grupo de soldados do Exército Brasileiro que se encontrava próximo do posto de saúde e começou a explicar sobre o arco e a flecha e eles perguntaram se tinham veneno nas flechas, o senhor explicou que aquelas não tinham veneno. Logo após chegou outro integrante da comunidade e explicou mais um pouco sobre como usam o arco e flecha. O senhor seguiu para a escola, que fica ao lado do posto de saúde, onde a pedido do motorista ele fez uma demonstração de como se usa o arco e flecha mirando para longe, do lado do bananal. Também é comum que ao chegar brancos na aldeia, os mais velhos se interessam em mostrar a flecha tradicional do seu povo aos visitantes. Porém a notícia veiculada informa que os índios receberam o exército com flechadas “Em MT, Exército é recebido a flechadas na aldeia…” e que “A Fundação Nacional do Índio (FUNAI) precisou ser acionada para que os homens do exército conseguissem entrar na aldeia”. Notícia essa veiculada sob a responsabilidade de Flávia Borges G1 MT.

Também queremos afirmar que em momento algum houve conflito e intenção de agredir o exército e que a FUNAI não foi solicitada para apaziguar conflitos.

Frente a essa notícia divulgada nos meios de comunicação, o Povo Myky, vem a público exigir retratação diante da calúnia e difamação de que foi algo e que essa retratação seja amplamente divulgada pelos meios de comunicação.

Aldeia Japuíra, Brasnorte, MT, 09 de outubro de 2018

Indígenas rebatem publicação que afirma que teriam recebido Exército com flechadas durante eleições.

Anúncios

Nos rios de Mato Grosso: Impactos das hidrelétricas sobre os territórios

A partir de depoimentos de atingidos e ameaçados por projetos hidrelétricos em Mato Grosso, vamos debater os impactos das hidrelétricas no modo de vida de povos indígenas, assentados e agricultores familiares. Entenda como projetos hidrelétricos na sub-bacia do Juruena sem o devido planejamento e discussão com a sociedade ameaçam a vida da população e a biodiversidade da região.

Os programas foram produzidos pela jornalista Juliana Arini e serão disponibilizados gratuitamente aqui em nosso blog. Nossa intenção é que os programas ajudem as pessoas da região a refletirem e discutirem sobre estes importantes temas.

Os programas podem ser replicados livremente. Se você e/ou sua comunidade tiver interesse em receber todos os programas, entre em contato conosco no redejuruenavivo@gmail.com.

Para fazer download do Programa “Nos Rios de Mato Grosso” 8 – Impactos das hidrelétricas sobre os territórios

O III Festival Juruena Vivo vem aí!

v-mostra-vale-dos-arinos-2-1

Esse ano o festival acontece em Juara, Noroeste de Mato Grosso, entre os dias 27 e 30 de outubro, junto com a V Mostra Cientifica e Cultural do Vale do Arinos realizada pela Universidade Estadual de Mato Grosso (UNEMAT), por meio do Laboratório de Estudos e Pesquisas da Diversidade da Amazônia Legal.
O Festival Juruena Vivo é um espaço de encontros e diálogos entre a sociedade civil, poder público, empresários locais, comunidades indígenas, assentados, extrativistas, pescadores, agricultores familiares e demais interessados no desenvolvimento socioambiental justo e inclusivo na bacia do rio Juruena.
Convidamos todos para vivenciar conosco momentos de reflexão, diversão, trocas de saberes, sabores, sementes e diversidade cultural. Tudo ao som da musicalidade e poética regional.

Compartilhe essa ideia. Convide seus amigos.

Confira a programação:

folder-pag1-iii-festival

folder-pag2-iii-festival